Untitled Document
     
 
 
menu
     
 
  Home

  Histórico

  Informações

  Seccionais

  Notícias

  Avisos

  Congressos

  Lista

  E-mail

  Navegação
 
 

 
Untitled Document
     
 



Perguntas mais comuns sobre Acupuntura

Clique nas perguntas e obtenha respostas às dúvidas mais comuns sobre Acupuntura
 
 


• O que é acupuntura?

• A acupuntura é um procedimento seguro?
• A acupuntura pode transmitir doenças?
• A acupuntura funciona em todos os pacientes?
• A acupuntura é um procedimento doloroso?
• Existem evidências científicas de que a analgesia por acupuntura é mediada por neurotransmissores?
• Ocorre sangramento?
• Qual a freqüência do tratamento?
• Quais os mecanismos de ação da acupuntura?
• Existe acupuntura sem agulhas?
• Como é uma sessão de acupuntura?

 

 

Serviços de Acupuntura em Instituições Públicas no Brasil
Lista dos estados que possuem atendimento em acupuntura ligados ao SUS.

Aqui estão relacionados os Serviços de Acupuntura oferecidos por médicos acupunturistas, membros da SMBA, em Instituições Públicas de todo o País.

Cada ambulatório tem um médico responsável, contudo, para saber mais informações sobre um serviço específico, dirija-se à seção "Seccionais" e, utilizando o menu/mapa, encontre a região e o estado que lhe interessar; em seguida, as informações referentes à Sociedade Médica de Acupuntura (SOMA) daquele estado aparecerão, e, dentre elas, o endereço do Presidente da Seccional local, que poderá lhe informar com maior riqueza de detalhes acerca do funcionamento dos serviços prestados naquele estado.

Legislação sobre Acupuntura no Brasil
Resoluções que regem a prática da Acupuntura Médica no país.

Resoluções do Conselho Federal de Medicina

Resolução
Situação
Data
Ementa
Revogada
11/08/1995
Reconhece a Acupuntura como especialidade médica. (D.O.U.; Poder Executivo, Brasília,DF, nº 159, 18 ago. 1995. Seção 1, p. p. 12.675). REVOGADA PELA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634/2002.
Íntegra
11/04/2002
Dispõe sobre convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina CFM, a Associação Médica Brasileira - AMB e a Comissão Nacional de Residência Médica - CNRM. Revogam-se as Resoluções CFM nºs 1.286/89, 1.288/89, 1.441/94, 1.455/95. (Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, n. 81, 29 abr. 2002. Seção 1, p. 265-66).
Íntegra
07/05/2003
Dispõe sobre a nova redação do Anexo II da Resolução CFM nº 1.634/2002, que celebra o convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina - CFM, a Associação Médica Brasileira - AMB e a Comissão Nacional de Residência Médica - CNRM.

 

Resoluções da Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação [CIPLAN]

Resolução
Situação
Data
Ementa
Íntegra
11/03/1988
Resolve: 1. Implantar a prática da Acupuntura nos Serviços Públicos Médico-Assistenciais, para garantir o acesso da população a este tipo de assistência; 2. Criar procedimentos e rotinas relativas à prática da Acupuntura nas Unidades Públicas de Assistência Médica.

 

O que é acupuntura?

A acupuntura é um dos componentes da Medicina Tradicional Chinesa. No Brasil, foi reconhecida como especialidade médica em agosto de 1995, e está inserida no SUS desde o ano de 1988. O exercício da acupuntura exige a elaboração de diagnóstico, prognóstico e instituição de procedimento terapêutico invasivo. Pode ser entendida como um conjunto de procedimentos terapêuticos que visam introduzir estímulos em certos lugares anatomicamente definidos, os pontos de acupuntura, a fim de obter do organismo, em resposta, a recuperação global da saúde, ou a prevenção da doença, através de incremento dos processos regenerativos, de normalização das funções orgânicas de regulação e controle, de modulação da imunidade, de promoção de analgesia, de harmonização das funções endócrinas, autonômicas e mentais.

 

A acupuntura é um procedimento seguro?

Desde que realizada por médico capacitado, a acupuntura é um procedimento seguro e desprovido de efeitos colaterais. Reações adversas à acupuntura estão em geral associadas à má formação de quem a pratica. É importante ter em mente que embora a acupuntura esteja livre das dependências e dos efeitos colaterais associados ao uso dos medicamentos, constitui um procedimento invasivo e que exige conhecimentos de anatomia topográfica, fisiologia e sobretudo clínica médica. A elaboração de um diagnóstico, inclusive diferencial, o estabelecimento de prognóstico e a instituição do tratamento adequado, são fatores imprescindíveis para se evitar o simples mascaramento de sinais e sintomas, com todas as conseqüências negativas que isso possa acarretar. Em todos os casos, o paciente deve manter seu médico informado sobre os medicamentos de que faz uso, se está ou suspeita estar grávida, ou se usa marca passo ou implantes cosméticos.

 

A acupuntura pode transmitir doenças?

A acupuntura é um método invasivo, e, portanto, faz-se necessário observar as regras básicas de esterilização. Usando-se material esterilizado não há risco de transmissão de doenças. Atualmente as agulhas utilizadas em acupuntura são descartáveis, o que aumenta a segurança para médicos e pacientes, prevenindo a transmissão de doenças como a hepatite e a aids.

 

A acupuntura funciona em todos os pacientes?

Não. A acupuntura funciona em cerca de 70 a 80% dos humanos e animais em que é utilizada. Já o efeito placebo é observado em aproximadamente 30% dos casos. O fato da acupuntura não apresentar ação em alguns casos pode ser decorrência de vários fatores. Além daqueles eventualmente relacionados a um diagnóstico incorreto ou tratamento inadequado, devemos considerar que indivíduos que apresentam altos níveis de colecistocinina (CCK) respondem mal à analgesia por acupuntura, o que leva a crer que, nessas pessoas, outras ações da acupuntura também estarão prejudicadas. Por outra parte existem evidências de que pessoas que apresentam baixos de CCK respondem muito bem à analgesia acupuntural. Experimentos realizados com animais têm demostrado que o uso de substâncias que antagonizam a CCK contribui para melhorar a resposta à acupuntura nos indivíduos com níveis elevados de colecistocinina. Também existem evidências de que a CCK está envolvida no processo de desenvolvimento de tolerância à acupuntura.Outro fator que precisa ser levado em conta naqueles pacientes que respondem mal a acupuntura, é uma possível deficiência genética de receptores de endorfinas a nível da membrana celular das células nervosas.Finalmente, não se deve esquecer que o uso de determinados fármacos como corticóides e beta bloqueadores também pode interferir no resultado do tratamento com acupuntura.

 

A acupuntura é um procedimento doloroso?

Não deve ser. A sensação de dor na acupuntura geralmente está associada a inserção das agulhas, sendo de pequena intensidade, rápida e, na maior parte das vezes, imperceptível. Após a inserção das agulhas, que têm um diâmetro muito pequeno, semelhante ao de um fio de cabelo, pode ocorrer uma sensação discreta de choque elétrico, peso ou dolorimento, o que é decorrência da ativação de terminações nervosas responsáveis pela condução do estímulo da acupuntura.

 

Existem evidências científicas de que a analgesia por acupuntura é mediada por neurotransmissores?

Desde 1977, diferentes pesquisadores têm demonstrado que a analgesia acupuntural inibe a resposta dos neurônios do trato espinotalâmico aos estímulos dolorosos. Também ficou demonstrado que este efeito da acupuntura pode ser revertido pela naloxona, um bloqueador dos receptores endorfínicos. O progresso das pesquisas realizadas desde os anos setenta conduziu a nada menos que 17 diferentes linhas de convergência que suportam a idéia da participação de mecanismos endorfínicos na analgesia por acupuntura.

As 17 linhas de evidência da analgesia endorfínica são as seguintes:

- naloxone bloqueia a analgesia provocada pela acupuntura
- seis antagonistas de opiáceos bloqueiam a analgesia provocada pela acupuntura
- dextro-naloxone não bloqueia a analgesia provocada pela acupuntura
- anticorpos contra endorfinas bloqueiam a analgesia provocada pela acupuntura
- micro-injeção de naloxone bloqueia a analgesia provocada pela acupuntura
- deficiência genética de receptores opióides leva a uma redução da analgesia acupuntural
- deficiência de endorfinas causa redução da analgesia provocada pela acupuntura
- as endorfinas aumentam no Líquor e diminuem no cérebro após a analgesia acupuntural.
- a analgesia provocada pela acupuntura é intensificada quando se evita a destruição enzimática das endorfinas.
- os efeitos analgésicos da acupuntura podem ser transmitidos por circulação cruzada.
- a redução das endorfinas da hipófise bloqueia a analgesia provocada pela acupuntura
- observa-se um incremento no mRNA para pró-encefalina na analgesia causada pela acupuntura.
- a proteína C-fos aumenta nas áreas endorfínicas do cérebro.
- analgesia acupuntural mostra tolerância cruzada com dependência morfínica.
- analgesia causada pela acupuntura funciona melhor para dor emocional, como as endorfinas.
- lesões do núcleo arqueado bloqueiam a analgesia causada pela acupuntura
- lesões da substância cinzenta periaquedutal bloqueiam a analgesia causada pela acupuntura

Todas as evidências mencionadas fornecem prova convincente de que a analgesia produzida pela acupuntura é um fenômeno fisiológico conhecido e passível de ser afetado pelo uso de agulhas de acupuntura e estimulação elétrica.

 

Ocorre sangramento?

Eventualmente um pequeno vaso sangüíneo pode ser atingido, ocorrendo discreto sangramento que é fácil e prontamente estancado por simples compressão. Realizada por médico experiente a acupuntura é, contudo, isenta de riscos. Deste modo, sangramentos e hematomas ocasionais não devem ser motivo de preocupação, já que geralmente são superficiais e ocorrem raramente.

 

Qual a freqüência do tratamento?

Usualmente as sessões são realizadas uma vez por semana. Casos agudos podem exigir sessões diárias. Em geral, a duração e a freqüência do tratamento dependem do diagnóstico e do tempo de evolução da doença. Quanto mais recente a patologia, mais rápido o resultado. Algumas doenças respondem mais rapidamente que outras. Exemplo são as dores músculo esqueléticas sem ocorrência de degeneração estrutural.

 

Quais os mecanismos de ação da acupuntura?

Pesquisas demonstram que a acupuntura estimula terminações nervosas livres mielinizadas do tipo II e III nos músculos, enviando sinais para o sistema nervoso central, onde são liberados peptídeos endógenos semelhantes à morfina ( endorfinas). Estes neuro transmissores causam analgesia bloqueando a propagação dos estímulos dolorosos para o córtex cerebral, e, consequentemente, impedindo sua percepção pelo cérebro. No SNC, o estímulo da acupuntura vai promover a analgesia mediante atuação em três níveis distintos: medular, mesencefálico e hipotalâmico. Neste último, a acupuntura vai ativar o eixo hipotálamo-hipófise, promovendo a liberação de beta-endorfina na corrente sangüínea e no LCR. Por sua vez, a beta-endorfina age sobre diferentes partes do cérebro e medula espinhal de modo a bloquear a passagem do estímulo doloroso. Um dado importante é que a liberação de beta-endorfina está correlacionada numa base equimolar à produção do hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), já que os dois têm um precursor comum. Assim, para cada mol de beta endorfina produzido, ocorre a liberação de um mol de ACTH, que vai atuar sobre o córtex da supra renal causando a liberação de cortisol. Neste fato, pode estar a explicação para a atuação da acupuntura nos processos inflamatórios da artrite e no broncospasmo associado à asma. O cortisol endógeno é liberado em quantidades muito reduzidas e finamente reguladas evitando assim os efeitos colaterais da terapia com corticóides.
A nível do mesencéfalo, são neurônios da substancia cinzenta periaquedutal que vão liberar endorfinas e estimular neurônios do trato descendente dorso lateral para produzir serotonina e norepinefrina, inibindo deste modo o impulso doloroso a nível medular. O terceiro nível de atuação da acupuntura é a medula espinhal, onde interneurônios da substancia gelatinosa liberam dinorfina e bloqueiam o impulso doloroso que se propaga pelas fibras aferentes nociceptivas.

 

Existe acupuntura sem agulhas?

Por definição não, já que a palavra acupuntura é de origem latina e significa literalmente punção com agulhas. No entanto, os pontos de acupuntura podem ser estimulados por pressão, calor ou eletricidade. De modo que, procedimentos tradicionais como as ventosas, as massagens e a moxabustão, ou modernos, como a estimulação dos pontos com raios laser, podem ser usados na prática da Medicina Tradicional Chinesa.

 

Como é uma sessão de acupuntura?

Na primeira consulta o médico busca estabelecer um diagnóstico clinico, nosológico e acupuntural, abarcando os conhecimentos da medicina contemporânea e da Medicina Tradicional, lançando mão de uma minuciosa anamnese, exame clínico e solicitando os exames complementares que se fizerem necessários. Seleciona os pontos (prescrição) de acordo com o diagnóstico, orientando ou associando a outros métodos de acordo com o diagnóstico e prognóstico realizados. Após a limpeza da pele, as agulhas descartáveis são inseridas de forma indolor e deixadas no local, sendo retiradas após vinte a trinta minutos. Durante o período em que as agulhas estão inseridas, o médico pode também associar um estímulo elétrico às agulhar e recomenda-se ao paciente não se mover bruscamente, evitando que haja algum desconforto ou complicação. As sessões posteriores podem ser iguais ou ter os pontos modificados, de acordo com a evolução de cada caso em particular.

 
 
Untitled Document